Seu filho acredita em papai-noel?

A figura do bom velhinho está sempre ligada a valores como bondade, paciência, simpatia, atenção e, lógico, o presente. Tanto os adultos quanto as crianças não hesitam em dar um tchauzinho quando avistam Papai Noel tocando sininho nas calçadas em frente às lojas comerciais nesta época de Natal.

Então vem o questionamento: “Será que estou agindo certo incentivando esta fantasia no meu filho?”

A fantasia faz parte do mundo infantil e ajuda a criança a entender melhor a realidade que a cerca. É por esta razão que a criança adora brincar de faz-de-conta e de ouvir histórias. Os contos de fadas são excelentes recursos para se trabalhar a realidade através da fantasia.

O acreditar em Papai Noel também desempenha papel importante no desenvolvimento amplo da criança. À medida que ela vai crescendo, amadurecendo e compreendendo melhor a realidade a sua volta começará a perguntar sobre a real existência do Papai Noel. É neste momento que a mãe deve iniciar o trabalho de contar a verdade. Este momento deve acontecer sem pressa e com muito carinho. A fantasia deve ser “quebrada “ aos poucos. Os valores do Natal devem ser preservados e a figura do bom velhinho deve ser incentivada a continuar viva no interior de cada um mantendo a satisfação de presentear, de ser bom e de estar sempre alegre.

Muitas mães perguntam se a criança ao saber da não existência do Papai Noel se sentirá enganada por ela.

É claro que não, principalmente, se a mãe tiver se preparado para este momento e agir com segurança exaltando que seu filho(a) está crescendo e por esta razão está entrando no mundo dos adultos onde a fantasia ainda existe, mas sem tanta intensidade. A criança se sentirá importante por saber que estão percebendo que ela está crescendo e a estão respeitando por isso.

Que a magia do Natal habite o coração de cada um de nós!